Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do blog seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

20/09/2014

Casa passiva gasta menos energia do que um secador de cabelo


Ter uma casa passiva em locais com clima ameno é muito mais simples do que em regiões em que as temperaturas chegam aos extremos. No entanto, a Sonya’s Newenhouse prova que é possível e os benefícios dessa escolha são enormes.

O maior exemplo do tamanho da eficiência da estrutura é o fato de ela necessitar de menos energia do que um secador para manter os moradores aquecidos. Para chegar a esse nível de eficiência em Wisconsin, um estado norte-americano que passa boa parte do ano debaixo da neve, o projeto arquitetônico foi essencial.

A casa possui 290 metros quadrados. Suas paredes possuem isolamento hermético, janelas e portas feitas com vidraças triplas e um projeto passivo estratégico que norteia todos os detalhes da construção. A aplicação permite que a residência seja até 90% mais eficiente que uma casa padrão.

O telhado da moradia é coberto por placas fotovoltaicas, que combinadas a quatro aquecedores, geram, em média, 1.300 watts de energia. Além disso, as grandes janelas permitem o maior aproveitamento da luminosidade natural.

Os móveis foram criados a partir de materiais reciclados ou provenientes do manejo sustentável de madeira. Não foram usadas porcelanas no projeto. Em compensação, os arquitetos utilizaram sistemas eficientes na gestão da energia e água. Todo esse cuidado rendeu ao projeto uma certificação alemã especificamente destinada às construções passivas.

O bem-estar dos moradores ultrapassa as paredes. A Sony’s Newehouse está localizada em um bairro tranquilo, em uma cidade predominantemente agrícola. Isso permite que os jardins abriguem hortas caseiras e também facilita a compra de produtos naturais, principalmente, orgânicos.

Fonte: CicloVivo

Reservatório de água em SP vira parque


O escritório Levisky Arquitetos, sediado em São Paulo, foi o responsável por transformar um reservatório de água em um parque na região leste da capital paulista. A estrutura foi inaugurada no último final de semana e conta com uma área de 21 mil metros quadrados.

O Parque Sabesp Mooca foi uma estratégia usada pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo para oferecer área verde e de lazer, ao mesmo tempo em que coloca a população em um contato mais próximo com a água.

Imagem: Divulgação

Além do espaço livre, o local também conta com o Museu Aberto da Água, uma rota lúdica de aprendizagem sobre o ciclo das águas, com informações sobre o caminho que esse recurso percorre desde o manancial até chegar às casas.

Imagem: Divulgação

O parque foi construído com sistemas pré-fabricados seguindo o conceito de obra seca. Este formato garante a economia de água e reduz a geração de resíduos. O projeto também contou com a utilização de pisos drenantes nos passeios públicos e pavimentos.

O complexo conta com quadra poliesportiva, área gramada livre, playground infantil, praça de contemplação sobre o reservatório, espaços de convivência, postos de coleta seletiva e bicicletário, para incentivar os visitantes a usarem o meio de transporte alternativo.

Imagem: Divulgação

O Parque Sabesp Mooca está localizado na Avenida Paes de Barros, 2.107 e já está aberto ao público. Para completar o projeto paisagístico, o local receberá o plantio de 142 árvores e três mil arbustos e trepadeiras. 



Fonte: CicloVivo

04/09/2014

Carro movido à água do mar recebe autorização para circular na Alemanha

Um carro movido à água do mar (sim, é isso mesmo que você acaba de ler!) recebeu recentemente autorização para circular nas estradas e nas ruas de Munique, na Alemanha. A informação é da nanoFlowCell, fabricante que desenvolveu o sistema.

O esportivo Quant e-Sportlimousine possui uma bateria química que utiliza água do mar para gerar energia elétrica e é capaz de produzir até 920 cavalos de potência. De acordo com a montadora, o Quant e-Sportlimousine vai de zero a 100 km/h em impressionantes 2s8 e tem velocidade máxima de 378 km/h. A autonomia do veículo é de 600 quilômetros.

Apresentado no Salão de Genebra, na Suíça, em março, o veículo pesa 2.300 quilos. A abertura das portas é para cima, no estilo “asa”. O carro tem 5,25 metros de comprimento, 2,2 metros de largura e 1,35 metro de altura.

A nanoFlowCell não confirmou a data de lançamento do carro, mas deve iniciar a produção em massa. Contudo, a inovação não é para qualquer bolso. Estima-se que o veículo seja comercializado por cerca de R$ 1 milhão.

GALERIA DE FOTOS (clique na imagem para ampliar)

Fonte: Ciclo Vivo

03/09/2014

Sul-coreanos recarregam celulares com energia vinda de rio despoluído


Os moradores de Seul já podem recarregar smartphones e tablets com energia limpa proveniente de um rio que corta a cidade. A opção é disponibilizada gratuitamente e foi possível graças a pequenas estações hidrelétricas de produção de eletricidade.

O sistema foi inaugurado na última semana, no rio Cheonggyecheon, que já representou um enorme problema público dos sul-coreanos, mas hoje é uma referência em recuperação ambiental. A tecnologia aproveita a corrente natural do rio, sem modificar o seu curso natural.

“A instalação de geração de energia hidrelétrica em pequena escala minimiza os efeitos negativos sobre o meio ambiente, uma vez que produz eletricidade sem barragens. Ela exige apenas turbinas simples”, explicou um dos representantes do projeto, em declaração ao jornal local Korea Herald.

A tecnologia foi patrocinada por sistemas de financiamento coletivo e passará por testes durante três meses. Dependendo de como for a aceitação dos usuários, ele pode ser expandido para outros pontos ao longo dos 5,8 quilômetros de extensão do rio que corta o centro da cidade.

A novidade faz parte de um projeto municipal que incentiva o uso de energia alternativa. Além das centrais que utilizam a força do rio para gerar energia, a capital sul-coreana estuda a instalação de cabines equipadas com placas fotovoltaicas.

Fonte: CicloVivo

31/08/2014

Conheça uma ecovila localizada no coração da Islândia


Sólheimar é uma comunidade sustentável localizada no coração da Islândia. Ela é famosa por sua atmosfera artística e ecológica, onde moram cem pessoas que vivem e trabalham juntas. Entre as diversas estruturas sustentáveis do complexo o que mais se destaca é um centro educacional e esportivo inaugurado em 2002.


O projeto foi feito pelo escritório de arquitetura AKS, que cuidou para que cada detalhe fosse o mais eficiente possível. Esteticamente já é possível perceber que a preocupação em manter preservada a paisagem e os recursos naturais foi uma das premissas da construção.

A base do prédio é feita em madeira siberiana. O sistema de isolamento térmico do chão e das paredes, imprescindível em uma região tão fria como a Islândia, foi feito totalmente em lã de carneiro natural. No telhado o isolamento foi feito com papel, além disso, eles foram cobertos com gramado.


A estrutura é repleta de janelas, que maximizam o aproveitamento da luminosidade natural. Toda a energia utilizada para abastecer o local é proveniente de fontes sustentáveis. Placas fotovoltaicas, sistema de produção hídrico e um gerador que transforma a diferença de temperatura em eletricidade são os principais geradores de eletricidade da comunidade. O local também utiliza água quente geotérmica, retirada de seu próprio poço.


A aldeia ainda conta com estufas orgânicas para o cultivo de vegetais e outras plantas não comestíveis, bem como a silvicultura. Como os integrantes da comunidade trabalham e vivem dentro do complexo, ele também conta com um café, padaria, pensões, igreja, oficinas de artesanato e muito espaço pra arte, que recebem eventos diversos durante todo o ano. 


Clique aqui para conhecer outras ecovilas espalhadas pelo mundo.

Fonte: CicloVivo